Entre o estrelado “mito” e o “mito” estrela

Será difícil a escolha para presidente da República em 2018

Lula (PT/SP) e Bolsonaro (PSC/RJ) distantes e extremos (Reprodução/Metropoles)

Normalmente um ano antes de qualquer eleição presidencial já começam a fervilhar de pesquisas, as pessoas falam nas ruas e alguns nomes já surgem no horizonte. Isso é comum nas democracias modernas, exceto no Brasil. Com pouco mais de um ano para o pleito de 2018 ainda não sabemos quem poderão ser os candidatos a presidente.

Com a Lava Jato em andamento fica difícil saber quem poderá concorrer e quem não. Muitos políticos e caciques partidários acreditam que a maior investigação sobre corrupção do mundo possa terminar antes das eleições dando maior fôlego aos pretendentes a chefe de Estado. Entretanto a cada dia que passa essa tendência fica mais longe de ser atingida, ainda mais após as delações de Marcelo Odebrecht para o TSE.

Envolvendo tucanos como o senador Aécio Neves (PSDB/MG) e petistas o ex-mega empreiteiro detonou uma bomba sobre Michel Temer (PMDB) e colocou o partido do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT/SP) no meio história. Ficará complicado Lula conseguir conquistar novos eleitores para seu projeto, mesmo reforçando a tese que o país estava melhor quando ele era presidente.

As pesquisas eleitorais realizadas pela CNT/MDA e pela Paraná Pesquisas mostram Lula na frente de todos os candidatos. Com larga vantagem sobre os pretensos candidatos — Marina, Aécio, Ciro e Bolsonaro — o petista iria facilmente para o segundo turno. Isso é explicado pelo apoio que ele tem no Nordeste, onde seu governo mais atuou. Entretanto a Paraná Pesquisas divulgou a rejeição dos possíveis candidatos a presidente, onde se observa novamente Lula bem na frente. Em outras palavras podemos dizer que o ex-presidente sofre da estigma “ame-o ou odiei-o”. Não há dessa forma meio termo para quem defende ou rechaça o petista.

Do outro lado do espectro não vemos um tucano, muito menos Marina Silva (Rede) como contraponto. Vemos o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ). Considerados por muitos como “mito” o deputado utiliza um discurso bem parecido de Lula na década de 1980. É contra a classe política, não quer privatizações de algumas estatais, acredita que “bandido bom é bandido morto” e defende alguns torturadores da ditadura. A aproximação do discurso com o ex-presidente se deve ao fato de que Lula também era contra a classe política, não queria privatizar nada e acreditava que a segurança pública deveria ser feita com a mão pesada.

Mesmo que Lula tenha uma roupagem paz e amor não podemos esquecer que seu passado como líder sindical e declarações pouco amistosas contra políticos e juízes que investigam suas ações. Sabe-se também que Bolsonaro tem declarações contundentes contra homossexuais e usuários de drogas.

Um fator que pesa favorável ao deputado é sua baixa rejeição: de acordo com a Paraná Pesquisas, Bolsonaro tem somente 17,9%. Isso acontece pois o deputado tem grande apelo nas redes sociais, onde posta conteúdo sempre atualizado conforme o momento. Dessa forma atraiu uma legião de fãs pelo Brasil todo, pessoas que o consideram como “mito” político. Muitos desses fãs utilizam a alcunha “bolsomito” quando se referem a Bolsonaro.

Já o eleitor sem lado…

Grande parte dos eleitores não sabem em quem votar para presidente. Nas duas pesquisas (CNT/MDA e Paraná) tiveram números semelhantes no quesito “não sabe/não opinou”, em média 50% dos entrevistados não tem ideia de quem votar.

Muitos nem sabem quem seriam os candidatos, muito menos conhecem Bolsonaro. Podem chamar esses eleitores de alienados políticos, entretanto estão preocupados com seu dia a dia de tal maneira que jamais pararam para pensar em presidente. A crise econômica levou diversas pessoas a desacreditarem nos políticos como um todo, deixando assim um vácuo gigantesco para ser preenchido por alguém em Janeiro de 2019.

Dessa forma, sem ideia em quem votar para presidente, a grande maioria do eleitorado brasileiro — que já decide para a última hora — se torna o fiel da balança entre os dois opostos. Terá que escolher entre a cruz e a espada podendo piorar ainda mais o cenário político nacional.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s